Análise de Seguimento do NanoParticle (NTA) e Dispersão de Luz Dinâmica (DLS) - Comparação entre NTA e DLS

Por AZoNano

Assuntos Cobertos

Introdução
Como Trabalham?
Que Este Meio Pratica dentro?
Amostra Polydisperse
Amostra de Monodisperse
Distribuição do Número
R.I.
Concentração
Sumário

Introdução

NanoSight Limitou (Salisbúria, REINO UNIDO) desenvolveu um instrumento original que permitisse o seguimento do movimento Brownian dos nanoparticles na suspensão líquida em uma base da partícula-por-partícula (NTA). A aplicação Subseqüente da equação de Avivar-Einstein permite a derivação do tamanho e da concentração de partícula. Esta técnica apresenta uma alternativa interessante a umas técnicas mais típicas da Dispersão de Luz tais como a Dispersão de Luz Dinâmica (DLS). Esta nota esboça as diferenças principais nos resultados, em especificações técnicas e em exigências de sistema para cada técnica.

Como Trabalham?

Ambas As técnicas medem o movimento Brownian e relacionam este movimento a um diâmetro hidrodinâmico equivalente, com o movimento das partículas menores que tornam-se mais exagerados. NTA mede este movimento com a análise de imagem (fig.1) que segue o movimento das partículas em uma base da partícula-por-partícula, este movimento pode ser relacionado ao tamanho de partícula. DLS não visualiza as partículas. DLS observa as flutuações dependentes do tempo em dispersar a intensidade causada pela interferência construtiva e destrutiva resultando dos movimentos Brownian relativos das partículas dentro de uma amostra. Com a aplicação da função de autocorrelação e do cálculo subseqüente da deterioração exponencial, o tamanho de partícula médio pode ser calculado das flutuações tempo-dependentes na intensidade de luz (refira ISO 13321 para uns detalhes mais adicionais).

Figura 1. imagem Típica produzida pela Técnica de NTA.

Que Este Meio Pratica dentro?

Amostra Polydisperse

Para amostras polydisperse (amostras que contêm uma escala das dimensão das partículas) geralmente a aproximação de NTA é melhor serido devido à medida da partícula-por-partícula. DLS produz um tamanho de partícula médio devido à medida do conjunto (todas as partículas medidas ao mesmo tempo) e é inclinado para partículas maiores dentro da amostra (em virtude do facto dispersa a luz mais intensa do que as partículas menores). A aproximação de NTA não dá um tamanho de partícula médio e daqui não é inclinada para as partículas maiores. Para amostras bimodais a aproximação da partícula-por-partícula permite a definição de populações discretas com uma relação do tamanho do 1:1.33 (por exemplo as partículas 300nm poderiam ser discriminadas das partículas 400nm). Em DLS devido a esta intensidade a polarização que é difícil exceder uma potência de resolução prática das partículas 100nm do 1:4 isto é pode ser resolved das partículas 400nm.

Amostra de Monodisperse

Para as amostras em que as partículas são todo o mesmo tamanho (monodisperse) DLS produz um tamanho de partícula médio exacto porque não há nenhuma polarização da intensidade. A média é produzida de um grande número partículas idênticas e daqui a medida é exacta e repetível.

Para NTA a distribuição é formada de uma população menor das partículas (milhares um pouco do que centenas de milhares com DLS) e daqui os resultados são potentailly menos estatìstica robustos do que com DLS. A Repetibilidade é 1% com o NTA comparado para melhorar do que 1% com DLS.

Distribuição do Número

Porque NTA segue partículas dentro de um volume conhecido, a distribuição de tamanho que é produzida é uma Distribuição do Número e umas concentrações relativas da partícula pode ser determinada.

DLS produz uma distribuição da intensidade que possa então ser convertida a uma distribuição de volume. Esta conversão confia em um número de suposições, quando estes dados são então mais adicionais convertidos a uma distribuição do número, erros na conversão original é combinada e daqui em distribuições do número como calculado com DLS são considerados geralmente para ser impreciso.

R.I.

NTA não usa a intensidade da luz dispersada como um measurand e daqui não há nenhuma exigência para o conhecimento do solvente R.I. do solvente no cálculo. A Partícula R.I. igualmente tem implicações ao considerar amostras com as misturas de deslocamentos predeterminados refractive.

Porque as partículas mais refractile dispersam mais luz, a distribuição de tamanho da partícula é tornada mais pesada para as partículas mais brilhantemente da dispersão em DLS. Isto causa erros nas amostras com partículas sem revestimento das partículas, lipossoma carregados/descarregados das misturas dos materiais por exemplo revestidos/, as porosas/as nonporous. A distribuição de tamanho será tornada mais pesada Em todos os casos para as partículas maiores/mais refractile.

NTA grava a intensidade da partícula mesmo que não seja usado no cálculo do tamanho. Isto abre a possibilidade para discriminar entre partículas de um tamanho similar mas o R.I. diferente, significando a técnica de NTA empresta-se à análise de umas misturas mais complexas em termos de R.I. e de polidispersidade (fig.2).

Figura 2. Imagem que mostra o gráfico 3D do tamanho de partícula contra a intensidade relativa contra a concentração usando a técnica de NTA.

Concentração

geralmente as concentrações exigidas na técnica de NTA são mais baixas do que aquelas exigidas para DLS. A concentração máxima mensurável pela técnica de NTA é 109 partículas pelo ml. As exigências da concentração para DLS dependem do tamanho das partículas analisadas. Isto é devido ao facto de que as partículas maiores dispersam mais luz e daqui seu sinal é mais fácil de detectar. Enquanto as partículas obtêm menores a concentração de partículas exigidas para DLS aumenta.

Segundo a aplicação, as exigências da concentração para ambas as técnicas podem ser problemáticas. A Diluição pode causar problemas com agregação da partícula e conseqüentemente para amostras altas do WT % a diluição é exigida em DLS e em NTA (embora menos diluição é exigida geralmente para DLS).

Para as aplicações em que há uns baixos números de partículas NTA actual pode analisar as concentrações tão baixas quanto a partícula9 10 pelo ml, que não é possível com o DLS para dimensão das partículas menores.

Sumário

Caracterização

Análise de Seguimento do Nanoparticle (NTA)

Dispersão de Luz Dinâmica (DLS)

Escala do Tamanho (nanômetro)

10 - 1000

2 - 3000

Definição do Tamanho

1:1.33

1:3 na teoria, 1:4 na prática

Medida da Amostra Polydisperse

a aproximação da Partícula-por-Partícula permite a melhor definição das dimensão das partículas. Nenhuma polarização da intensidade para partículas maiores

Tamanho de partícula Médio que é intensidade inclinada para as partículas maiores/contaminador dentro de uma amostra

Medida da Amostra de Monodisperse

Olha menos partículas do que a repetibilidade de DLS conseqüentemente é ligeira mais ruim do que DLS. Distribuição de tamanho Equivalente a DLS

Ligeira mais reprodutível do que NTA devido ao tamanho de partícula médio de muito mais partículas

R.I.

Não Exige nenhuma informação sobre o solvente R.I. A intensidade Relativa da partícula pode ser calculada para amostras com uma mistura de deslocamentos predeterminados refractive da partícula

Exige o solvente R.I. Nas amostras com uma mistura de deslocamentos predeterminados refractive da partícula, a análise é tornada mais pesada para as partículas mais refractile

Distribuição de Tamanho

Distribuição do Número

Distribuição da Intensidade que pode ser convertida em uma distribuição de volume. Nenhuma informações exactas sobre a concentração da partícula pode ser calculada.

Esta informação foi originária, revista e adaptada dos materiais fornecidos por NanoSight.

Para mais informação visite por favor NanoSight.

Date Added: Jan 21, 2009 | Updated: Mar 8, 2013

Last Update: 8. March 2013 12:37

Ask A Question

Do you have a question you'd like to ask regarding this article?

Leave your feedback
Submit